Artistas da Pré-História Brasileira

Nossos ancestrais nômades caçadores-coletores habitaram selvas verdes da mata atlântica no nordeste brasileiro a mais de 10.000 anos atrás.

Certamente a caça devia ser abundante, tendo em vista as pinturas rupestres encontradas em centenas de sítios na Serra da Capivara, ao sul do estado do Piauí.

As pinturas retratam uma fauna generosa. Os painéis das pinturas nas paredes das tocas representam cenas do cotidiano como a caça, o sexo, o nascimento, a dança e rituais.

Os seres antropomórficos aparecem em cores e feitio diferente. Em algumas figuras vale a imaginação para tentar entender o que é ou o significado da cena.

As imagens são uma amostra do registro feito no Parque Nacional Serra da Capivara nas tocas do Pajaú, do Barro, do Baixão da Vaca, das Eminhas e Veadinhos Azuis, do Deitado, da Gameleira, da Saída, do Paraguaio, do Caldeirão e Baixão das Andorinhas.

Sexta-feira numa Comunidade Caiçara

Após aportar em águas tranquilas, a tarde trouxe vento terral e baixa-mar. 

Era tarde de sexta-feira na comunidade do Cruzeiro. Simplesmente fiquei paralisado com os tons azulados da vista do Saco do Mamanguá. Entre nuvens, o sol encobria o que estava por vir, o pôr do sol.

Como se o ventilador fosse desligado, o vento acabou. O calor já não era escaldante. Então chegara o momento de caminhar na areia molhada da praia do Cruzeiro e acompanhar como verdadeiramente tranquilo é uma sexta-feira nestas bandas.

Indolente era meu caminhar.

Assim chegou à tardinha, ainda de céu azul-alaranjado. As águas do mar recuaram, as marolas sumiram e a comunidade simplesmente curtia aquele pôr do sol. Os juvenis brincavam na lagoa salgada. Algumas poucas crianças se lambuzavam na lama de areia, olhando para eu como um ser de outro mundo. Alguns jovens e adultos ficaram à espreita para ver o entardecer.

O império da natureza, como sempre, trouxe mais um magnifico pôr do sol.

Um menino brincava com seu cachorro sem perceber o espetáculo a tempo, enquanto que outro parecia anestesiado com aquelas cores, do azul-alaranjado, claro, escuro e prateado se misturando nas águas e céu do Mamanguá.

Do outro lado, a lua no quarto crescente disputando atenção com o Pico do Pão de Açúcar. No relógio, nem dezenove horas ainda eram…. Assim é a sexta-feira na comunidade do Cruzeiro.