Estrada Sem Fim

Na busca de novos desafios em montanha e trekking, não temos escolhas, é preciso seguir por estradas…

Que muitas vezes parecem não ter fim!

Nestas estradas temos a companhia de dois companheiros anônimos: o inexplorado e o ignorado.

O inexplorado nos deixa curioso, faz a imaginação ir longe. Quase sempre o que vemos ao longe parece impossível de ser atingido e superado. 

O ignorado é seguir adiante mesmo sabendo dos riscos associados. Muitas vezes não temos toda a experiência necessária ou relegamos a questão.

O espírito planejador e desbravador deve falar mais alto.

O importante é seguir adiante, estar alerta e saber o momento de estacionar, desviar, ou até mesmo, desistir. A humildade deve ser a companheira #1.

Por isso seja no asfalto, terra, cascalho, lama ou curso d’água, as estradas são apenas a entrada do prato principal.

No final da viagem, a estrada parece interminável, sem fim… O jeito é relaxar e aproveitar a paisagem!

Retrospectiva – Categoria Trekking

Esta categoria Trekking tem significado mais amplo, naquilo que posso chamar de caminhadas de curta, média e longa duração, fácil ou difícil, incluindo também as montanhas.

Na essência, os relatos transitam entre duas vertentes, a técnica e a poética. De um lado, o cuidado em escrever o que é relevante, evitando relatos extensos. Do outro lado, o desafio de externar em forma de palavras os sentidos, sentimentos, vivências, boas ou ruins, e que possam trazer algum significado.

E quanto as imagens? São poucas publicadas por post, para também não poluir a postagem. Sem pretensões, tentando ser criativo e fazendo o básico da fotografia. Apenas ‘clics’ no modo automático.

Mas posso dizer com toda certeza que a jornada tem sido auspiciosa!

Enfim, todos os lugares são especiais quando se trata da natureza; E considerando apenas os posts publicados nesta categoria, os destaques são:

Felizmente, ainda há muito que ser relatado!

Forte Abraço!!!

Kleber Luz

Lagunas de Sal

P1090318 (Large)

As lagunas Cejar, Piedras e Tebenquiche estão localizadas ao norte do Chile na bacia do Salar do Atacama. A comunidade de Solor administra esta área em um trabalho de preservação das lagunas.

P1090311 (Large)

O acesso é por estrada de asfalto e cascalho distante entre 15 a 30 km ao sul de São Pedro do Atacama numa altitude de 2.450 metros.

P1090326 (Large)

As lagunas fazem parte de sistemas salinos desenvolvido, há cerca de 126 mil anos até o presente (Pleistoceno e Holoceno), na parte baixa e mais chuvosa do Salar do Atacama.

P1090340 (Large)

A laguna Cejar e Piedras foram formados pelo acúmulo de sais de um antigo lago de alta salinidade. Em suas margens existem arestas em cristais de sal muito afiadas.

P1090346 (Large)

Na laguna Piedra devido à alta concentração de sal na água, qualquer corpo flutua facilmente sobre suas águas.

P1090322 (Large)

Na laguna Tebenquiche, suas águas dependem do degelo e das chuvas e pode-se avistar alguns flamingos, raposas e uma pequena variedade de pássaros.

P1090390 (Large)

Nas zonas úmidas das lagoas existe uma vegetação conhecida como palha brava, junco e betume.

P1090397 (Large)

Ao entardecer suas águas e o deserto mudam de cores em um espetáculo natural de grande beleza cênica.

P1090475 (Large)

Local: Deserto do Atacama / Chile

Deserto do Atacama

P1110008 (Large)

O deserto do Atacama está localizado ao norte do Chile e faz fronteira com Argentina, Bolívia e Peru. Tem cerca de 1.000 km de extensão e 105.000 km² de superfície. Está ao lado da cordilheira dos Andes onde é permeado por uma dezena de vulcões em atividade ou extinto.

P1090391 (Large)

O Atacama é considerado o deserto mais alto e árido da Terra. Os dias são quentes com manhãs e noites frias. Dependendo da altitude e vento as temperaturas podem variar de  – 25 °C a + 45 °C.

P1110619 (Large)

A precipitação média é de cerca de 15 mm por ano, embora em Arica e Iquique registros indicam chuvas entre 1 mm a 3 mm por ano. Estudos mostram evidências que o Atacama pode não ter tido qualquer precipitação significativa entre 1570 a 1971.

P1100591 (Large)

No interior do deserto é comum 18 % de máxima umidade relativa do ar. Na temporada dos ventos pode facilmente chegar a 100 km/h. Devido a radiação solar muito alta o espectro ultravioleta é extremo, então o tempo máximo de exposição ao sol sem nenhuma proteção não deve ultrapassar 20 minutos.

P1100945 (Large)

San Pedro do Atacama é a principal porta de entrada para o deserto do Atacama. Tem cerca de 7.000 habitantes com toda infra-estrutura turística e comercial para que os visitantes possam pernoitar e acessar os principais atrativos naturais.

P1110201 (Large)

Este oásis no meio do deserto está a 2.400 metros de altitude. Então qualquer deslocamento em direção a cordilheira dos Andes, as altitudes aumentam facilmente para mais de 4.000 metros e tem a montanha Ojos Del Salado, considerado um vulcão extinto, a maior altitude com 6.893 metros acima do nível do mar. Nas montanhas acima de 6.000 metros de altitude é comum ter neve o ano todo.

P1100851 (Large)

Com toda esta grandiosidade e clima extremo, encontramos muitos turistas, do mundo todo, perambulando pela “calle” principal chamada Caracoles. Muitos em busca de uma fonte termal para relaxar. Outros interessados na cultura, história, astronomia ou arqueologia da região. E aos mais aventureiros a prática do trekking, montanhismo, cavalgada, mountain bike, sand board ou off-road.

P1110552 (Large)

Siga-nos, pois vamos desvendar o deserto mais árido do mundo em busca de suas salinas, gêiseres, vulcões, montanhas, cânions, lagoas coloridas, vales verdejantes, rios de água cristalina e dunas douradas; Além é claro, de sua fauna.

P1090127 (Large)

Local: San Pedro do Atacama / Chile.