Serra Fina

P1020462 (Large)

A Serra Fina situa-se na Serra da Mantiqueira. É uma das mais importantes cadeias de montanhas do Brasil. A porção maior localiza-se no município de Passa Quatro, e demais áreas, em Itanhandu, Lavrinhas, Queluz e Resende.

P1020427 (Large)

A Serra Fina tem um desnível topográfico com mais de 2.200 m do cume da Pedra da Mina à base da serra no lado do Vale do Paraíba. Como a encosta sul é muito íngreme e possui largura estreita ao longo de toda a crista da serra, daí vem o nome Serra Fina.

P1020524 (Large)

P1020527 (Large)

Ao norte avista-se o Sul de Minas Gerais e as montanhas de Aiuruoca. Ao sul vê-se a Serra da Bocaina. Na extremidade leste vemos o maciço de Itatiaia e a oeste o maciço do MarinsItaguaré. A sudeste e sudoeste vêem-se o Vale do Paraíba, da cidade paulista de Pindamonhangaba até a cidade carioca de Barra Mansa.

P1020545 (Large)

Este maciço acomoda uma dezena de montanhas acima de 2.400 m de altitude. Os destaques são Pedra da Mina (2.798 m), quarta montanha mais alta do Brasil, Pico dos Três Estados (2.656 m), ponto tríplice da divisa dos estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro e Pico Capim Amarelo (2.491 m).

P1020573 (Large)

A melhor maneira de conhecer esta magnífica serra é fazer a travessia pelo espigão principal. Uma travessia de tirar o fôlego em todos os sentidos! Seja pelo alto grau de dificuldade, paisagens únicas e possibilidade de avistar inúmeras cidades do Vale do Paraíba, Sul de Minas e Grande Rio.

P1020570 (Large)

Esta travessia é isolada da civilização. Durante o verão chuvas fortes e raios atormentam a Mantiqueira. No inverno, devido a altitude, a temperatura atinge facilmente marcas negativas. Ventos constantes e rajadas são frequentes em qualquer estação do ano. A navegação pode ficar confusa em determinados pontos da travessia. A formação de neblina também dificulta a orientação. A água é escassa durante o percurso e deve ser racionada. Em caso de acidente grave a única saída rápida é através de resgate de helicóptero.

P1020575 (Large)

Para esta travessia é importante ter boa experiência em montanha, conhecimento de orientação e navegação, equipamento técnico, condicionamento físico e um bom planejamento e logística para garantir a segurança do grupo em uma das serras mais lindas e desafiadoras do Brasil.

P1020598 (Large)

A travessia da Serra Fina será mostrada em breve.

Local: Passa Quatro / MG.

Anúncios

Volta do Baú 30K

image.view.comp.php5

Os “trail runners” largaram cedo, da praça da matriz de São Bento do Sapucaí, para uma jornada desafiadora. A prova Volta do Baú é mais uma daquelas corridas de montanha para se divertir e testar os limites de quem gosta de correr em meio à natureza.

P1060281 (Large)

Uma prova de 30 km com lindas paisagens da Serra da Mantiqueira tendo como cenário principal o complexo rochoso do Baú. Um percurso para se conhecer as montanhas locais por estradinhas de terra e trilhas técnicas com aclives e declives generosos.

P1060291 (Large)

Amanheceu com neblina e logo após a largada despontou um belo dia ensolarado. Após atravessar o Bairro do Quilombo seguimos pela serra do lado esquerdo do vale, em uma longa subida. Caminhar foi inevitável e paradas para fotografar foram constantes.

P1060303 (Large)

Na descida para o fundo do vale se tem uma bela vista da Pedra do Baú. Logo atravessamos para o outro lado da serra. Neste ponto estava à metade do caminho e o inicio da segunda subida mais difícil da prova.

P1060313 (Large)

Na segunda serra, tentava dar passadas longas e corridas curtas para superar a subida aos pés do Baú. Deste ponto surgiram trilhas mais técnicas e com todo cuidado os obstáculos foram vencidos.

image.view.comp.php14

O percurso foi acima dos 1.700 metros de altitude quando corremos na trilha que vai até a Pedra Ana Chata. No meio da trilha descemos por dentro de uma mata por traz da Ana Chata e seguimos pela crista até cruzar um pasto e adentrar uma nova mata.

P1060381 (Large)

Numa descendente o percurso alternava um sobe e desce, como também, trilhas na mata e pastos até chegar ao Mirante do Cruzeiro. Finalmente de volta a praça da matriz.

P1060385 (Large)

Uma corrida de montanha excepcional que aliada a uma boa estratégia de prova, treino dedicado e muita perseverança resulta numa chegada alegre e sem grande exaustão.

P1060394 (Large)

Fotos: Kleber Luz e Wladimir Togumi – adventuremag.

Pernoite no Corcovado

P1050882 (Large)

Paramos o carro próximo a um campo de futebol para iniciar a nossa jornada. O GPS marcava cota 15 metros e avistamos o nosso desafio que estava a 1.180 metros de altitude, o Pico do Corcovado em Ubatuba.

P1050890 (Large)

Após o campo de futebol seguimos a direita onde atravessamos um regato e na segunda bifurcação à esquerda entramos na mata. Atravessamos dois rios e continuamos na trilha a esquerda. Deste ponto adiante muito transpiração e diversão durante a subida íngreme.

P1050986 (Large)

Em uma hora de caminhada chegamos à cachoeirinha, local onde captamos água e ganhamos fôlego. Logo seguimos até o mirante na pedra da Igrejinha, espaço onde temos a primeira vista do litoral e da praia Brava, e também se avista o Corcovado.

P1050962 (Large)

De volta à trilha, o angulo da subida aumenta em um terreno repleto de raízes. Com a mochila cargueira nas costas a subida era a passos lentos até atingirmos uma clareira onde encontramos acesso a mais uma queda d’água.

P1050994 (Large)

Seguimos subindo e alcançamos mais uma clareira, mas desta vez na crista da serra. A cada passo ganhamos visões do interior da serra e do litoral norte. Neste lugar o caminho percorre uma vegetação com muitas bromélias.

P1060049 (Large)

No finalzinho, sobe-se um íngreme barranco usando a vegetação lateral como agarras. Então a crista se prolonga ao lado de um despenhadeiro. Do lado direito está a ponta do Corcovado e a esquerda encontramos o cume e um local protegido do vento para acampamento.

P1060018 (Large)

A natureza singular reservou um dia quente onde o sol poente trouxe uma grande sombra do pico aos pés da serra do mar. O calor se esvaiu. Para nossa surpresa a lua cheia acentuou o contorno da serra e ampliou as luzes vindas da cidade de Ubatuba.

P1060038 (Large)

Durante a madrugada fria o vento chegou forte e antes do amanhecer saltei para fora da barraca. Mais um esplêndido nascer do sol! Grato por mais um final de semana junto a uma natureza espetacular e aos amigos de fibra.

P1060149 (Large)

“Subi o ponto mais alto possível e olhei pro oriente. Raios de luz despontaram atrás das montanhas. O vento ainda doía à pele. Como numa pintura o quadro se encheu de luz vermelho alaranjado que inundou o amanhecer de mais um dia.”

Correr é Bom

P1060306 (Large)

Correr é bom… e correr sem nenhum compromisso, correr pelo simples prazer de se sentir livre em contato com a natureza é tudo de bom. Vá em busca do que te dá prazer mesmo que tenha de sair de sua zona de conforto em busca de novos ares e experiências!”

Christian Kittler